Na década de 80 surgiu o CD, que se fez presente na vida das pessoas durante 30 anos. Em seguida temos o lançamento dos MP3 players e hoje o streaming.

Essa evolução de armazenamento de música é um dos exemplos mais claros de inovação disruptiva, que chega sem avisar, surpreende e quebra com todos os paradigmas de um mercado.

Para falar mais sobre a mudança de mindset e necessidade de reciclar conhecimento para encarar mudanças no mercado, recebemos a Carie Davis, fundadora do Your Ideas are Terrible no Innovators Summit 2016.

‘’Para quem não sabe o que significa uma inovação disruptiva, isso ocorre quando um novo produto ou serviço surge no mercado desestabilizando os concorrentes que antes o dominavam.’’

Carie acredita que o ponto principal não é focar essencialmente em uma inovação disruptiva, mas sim em como podemos melhorar no que já somos bons. Ela citou dois passos para isso:

1 – Melhorar em como avaliamos quais ideias devem ser exploradas;

2 – Como levar essas ideias rapidamente para o mercado.

‘’Isso pode ser atingido de várias maneiras: investindo em tecnologias, adquirindo talentos, comprando empresas ou até virando cliente de uma startup.’’

Em seguida, Carie apresentou oito maneiras de como não ser um rejeitado da Disruptive Innovation:

1 – Pare com o brainstorming  – gasto de tempo que sempre acaba com um monte de porcaria, ao invés disso deve se pedir para que pessoas tragam ideias e nas reuniões resolver se essas ideias irão ou não para frente;

2 – Não tente prever o futuro – as pessoa pensam em muito no que vai acontecer.  Tente prever as tecnologias que podem surgir no caminho e quebrá-las, e quais são as tendências;

3 – Melhora na aprendizagem rápida – melhorar no sentido de quão rápido você avalia uma ideia, analisa e a coloca para funcionar.  Para isso você tem que fazer com que as pessoas se sintam seguras para trabalhar, mas ao mesmo tempo as responsabilize;

4 – Meça o quão rápido você mata suas ideias – esse é um método para quantificar e mensurar suas inovações;

5 – Faça mais apostas pequenas – em oposição a poucas apostas grandes;

6 – Você não consegue escolher um vencedor, encare isso. As chances de você escolher dentre as várias ideias apenas aquela ideia vencedora, são mínimas;

7 – Não existem atalhos para se comunicar com os consumidores a fim de descobrir o que eles realmente gostam;

8 – Facilitar com que os times de inovação trabalhem mais facilmente com as pessoas de fora – criar situações que facilitem o trabalho da sua cia com as pessoas de fora pois elas podem ter a solução para seu problema.

Aproveite as dicas para assistir a íntegra da participação de Carie Davis na segunda edição do Innovators Summit e não perca a chance de participar da edição 2017 do melhor evento de inovação e tecnologia do Brasil. Garanta já o seu ingresso!